Aproxima-se uma colheita com grandes expectativas.


Falámos com a nosso equipa agronómica, Gustavo Quattrocchi e Luis Coita Civit sobre a previsão da colheita deste ano, as condições meteorológicas nas nossas quintas e como estas afectaram o desenvolvimento das plantas e como está a decorrer a recta final antes da colheita de 2021. Recordamos que a colheita de 2020 foi uma colheita sem precedentes devido ao contexto global daqueles meses, mas também devido à sua excelente qualidade, e esta que se aproxima está a dar forma a ser semelhante.

  • É esperada uma colheita antecipada? Luis Coita Civit: Em comparação com a média histórica, estamos um pouco à frente. No ano passado, a colheita começou muito cedo, pelo que provavelmente esperamos um início muito semelhante a essa data. De qualquer modo, é também um pouco a filosofia da adega começar a fazer vindimas mais cedo para ter mais frescura, menos extracção, para que os vinhos sejam um pouco mais frescos e mais bebíveis.


  • O que espera em termos de rendimento das uvas? Gustavo Quattrocchi: No Valle de Uco, onde se encontra a maioria dos nossos produtores associados, espera-se um rendimento normal, um rendimento normal de 80 quintais por hectare colhido, uma vez que não houve danos causados pela geada ou outros factores climáticos. Enquanto a área de Perdriel, onde temos a nossa própria propriedade, foi afectada por geadas que danificaram variedades tais como cabernets, mas sem dúvida que isto irá reforçar a qualidade.

  • Qual é a variedade que, de acordo com as previsões, terá o melhor desempenho? Gustavo: Malbec será certamente o que terá o melhor desempenho. Em comparação com as outras variedades, o Malbec terá mais quilos por hectare devido à forma como a Primavera aconteceu este ano e ao impacto do tempo frio. Luis: No ano passado, por exemplo, foi ao contrário, os Cabernets escaparam à geada por causa do seu início de abrolhamento, pelo que o seu rendimento foi excelente.


  • Qual é a percentagem de veraison hoje em dia? Luis: Esta semana (25 de Janeiro de 2021) visitámos 4 lugares muito diferentes no Vale de Uco, e descobrimos que em geral o veraison dos vermelhos é mais avançado do que em Luján. É algo atípico, todos os anos o veraison é sempre o primeiro em Luján porque é mais quente e tem um abrolhamento mais precoce. Gustavo: Duas coisas podem acontecer, que mais tarde se equilibram e as colheitas são semelhantes ou mesmo o Valle De Uco tem de ser colhido antes de Luján, o que não é normal.


  • Que valores de açúcar é que temos? É um resultado directo da fotossíntese, depende das horas de luz e calor, em anos muito quentes, com muita luz, dão muita concentração de açúcar, o que se traduz em vinhos com elevado teor alcoólico, os anos mais frios temos muito menos açúcar, portanto vinhos com menos álcool. Foi um ano mais frio do que o ano passado, mas não foi um ano frio, por isso estamos provavelmente nos valores típicos do álcool entre 13 e 14,5 graus, vamos tentar colher evitando ir demasiado além dos 14 graus.


  • Espera atingir a maturidade nas datas de colheita previstas? Sim, de facto, talvez a colheita do rosé seja um pouco mais cedo, no início de Fevereiro, mas as uvas tintas chegarão nas datas que esperamos.

  • White Icon Trip Advisor
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

+54 261 316 - 6555

Brandsen 1863. Luján de Cuyo. Mendoza - Argentina